domingo, 10 de maio de 2009

Exposição que mostra sexo com cadáveres gera polêmica em Berlim

Gunther von Hagens e um dos displays da exposição (Foto: Gunther von Hagens, Institut für Plastination, Heidelberg, www.koerperwelten.de)

Corpos em ato sexual fazem parte de mostra sobre ciclo da vida

Gunther von Hagens e display que mostra corpos em ato sexual (Foto: Gunther von Hagens, Institut für Plastination, Heidelberg)

Ampliar imagem

O anatomista alemão Gunther von Hagens, conhecido pelo uso de cadáveres na concepção de obras de arte, voltou a provocar polêmica nesta quinta-feira ao inaugurar em Berlim uma exposição sobre os vários estágios da vida humana, na qual está incluída uma cena de sexo.

Composta por mais de 200 cadáveres (submetidos ao controvertido processo de conservação desenvolvido por Von Hagens, conhecido como "plastinação"), a exposição "O Ciclo da Vida" retrata estágios da vida humana que vão do nascimento à velhice, usando para isso cadáveres de recém-nascidos, adultos e pessoas idosas.

Mas foi a cena em que os corpos de um homem e de uma mulher são usados para simular uma cena de sexo que despertou críticas.

Dorothee Bär, especialista em Mídia do Partido Democrata-Cristão, da chanceler Angela Merkel, qualificou a cena como "uma falta de gosto repulsiva" e disse que "torce" para que o público boicote a exposição.

O professor de Teologia Rainer Kampling, da Universidade Livre de Berlim, afirmou que a simulação do ato sexual entre os corpos demonstra que "não há mais limites". A Igreja Católica tem sido uma das maiores críticas das exposições promovidas pelo médico, que já passaram por diversos países.

O anatomista rebateu críticas de que estaria promovendo a pornografia e rompendo códigos éticos.

Nossa exposição se chama O Ciclo da Vida, e nela mostramos tudo, desde a concepção até a morte", afirma Von Hagens. "Morte e sexo são temas tabus. Eu coloco os dois juntos. A morte faz parte da vida, e sem sexo a vida não existe."

Body Worlds (Foto: Gunther von Hagens, Institut für Plastination, Heidelberg, www.koerperwelten.de)

Projeto Body Worlds está sendo exibido em vários países

Von Hagens afirmou ainda que as pessoas cujos cadáveres foram utilizados na obra permitiram por escrito que seus corpos fossem expostos simulando um ato sexual. O homem teria morrido aos 51 anos de câncer pulmonar, e a mulher, aos 58 anos. Os dois não se conheceram quando vivos.

"Nos formulários de doação, dois terços dos homens e um terço das mulheres concordaram que seus corpos fossem usados para representação de um ato sexual."

'Plastinação'

Na exposição, os corpos são colocados em posições que reproduzem cenas de várias atividades humanas. Alguns praticam esportes como salto em altura, outros tocam instrumentos.

No processo de conservação desenvolvido por Von Hagens, conhecido como "plastinação", os cadáveres são tratados com cerca de 200 quilos de silicone, durante um complicado procedimento que levou mais de quatro mil horas para ser concluído.

Na técnica da plastinação, que foi inventada por Hagens nos anos 70, os líquidos dos tecidos corporais são extraídos e substituídos por uma substância plástica especial.

Body Worlds (Foto: Gunther von Hagens, Institut für Plastination, Heidelberg, www.koerperwelten.de)

Von Hagens desenvolveu técnica especial para conservar corpos

Von Hagens traz sua mostra a Berlim oito anos depois da última apresentação na cidade. Na época, a exposição atraiu mais de 1,3 milhões de visitantes.

Em Heidelberg, onde O Ciclo da Vida esteve por quatro meses até o fim de abril, 300 mil pessoas visitaram a exibição. A mostra fica em cartaz na capital alemã até 30 de agosto. Atualmente, outras exposições do projeto estão ocorrendo em Grã-Bretanha, Espanha, Israel e em duas cidades americanas.

http://www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/2009/05/090506_berlimcorposml.shtml

sábado, 9 de maio de 2009

CICLO "ALAIN RESNAIS" DE 05/05 À 14/06/09


CICLO "ALAIN RESNAIS"
Mostra de Filmes em DVD – De 05/05 à 14/06/09

Filmes/Datas:
- “HIROSHIMA MEU AMOR” – De 05/05 à 10/05
Sinopse :Hiroshima Meu Amor é um dos mais aclamados filmes da história do cinema. Neste seu primeiro trabalho de ficção, o diretor francês Alain Resnais criou uma elaborada narrativa cinematográfica para contar a história de uma atriz francesa (Emmanuelle Riva) que está em Hiroshima para participar de um filme sobre a paz. Durante as filmagens, a atriz acaba se envolvendo com um arquiteto japonês (Eiji Okada) que sobreviveu ao bombardeio. Ele a faz relembrar seu primeiro amor, um soldado alemão que conheceu em Nevers, na França, no final da Segunda Guerra. Toda a ação de Hiroshima Meu Amor é entrecortada por estas lembranças e o tempo presente

- “ANO PASSADO EM MARIENBAD” – De 12/05 à 17/05
Sinopse : Ambientado em um hotel europeu, este filme tem três personagens principais: 1) o Narrador, que faz o voice-over do filme; 2) a Mulher, por quem o Narrador é obcecado; e 3) o Outro Homem, com que a Mulher veio para o hotel. O Narrador fala repetidamente para a Mulher, que eles passaram o ano anterior juntos e implora que ela parta com ele. A Mulher se mantém dizendo que desconhece o que ele está falando, mas seu comportamento demonstra o contrário. Enquanto isso, a presença do outro Homem no hotel, complica a vida da Mulher e do Narrador. Este filme, não delineia os personagens nem tem argumento como tradicionalmente conhecemos, mas é considerado um filme intelectualmente e emocionalmente engajado. Em primeiro plano, assistir a essa obra, nos faz contemplar e a perguntar: Será que entendi algo? Num segundo plano, o filme nos dá consciência: das nossas próprias confusões emocionais, nossos anseios conflitantes e das nossas recordações nebulosas. Seu lançamento em Cannes, causou furor na imprensa e na crítica mundial, fato este que foi encarado com extrema naturalidade pelo diretor. Experimental e único.

- “STAVISKY” – De 19/05 à 24/05
Sinopse : O irresistível charme e talento de Serge Alexandre, conseguem fazer com que, na pele de Stavisky, um escroque, Serge esteja sempre cercado de muitos amigos, dentre eles, membros influentes da elite industrial e política francesa do começo dos anos 30. Mas quando seu grande golpe, envolvendo milhões de francos, é exposto, o resultado é um escândalo que quase tem como consequência uma guerra civil.

- “MURIEL” OU “O TEMPO DE UM RETORNO” – De 26/05 à 31/05
Sinopse : O diretor Alain Resnais faz um novo mergulho pelos meandros da memória, pondo lado a lado passado e presente, realidade e imaginação, para contar a história de um grupo de pessoas na cidade de Boulogne, no início da década de 1960. O enredo centra-se nos personagens de uma viúva e seu jovem enteado ambos às voltas com difíceis lembranças que lhes perturbam o passado. Um antigo amor da juventude volta à vida da mulher e espanta o tédio de sua existência. Já o rapaz é assombrado por memórias de uma atrocidade que testemunhou durante a guerra da Argélia, quando uma jovem chamada Muriel foi torturada até a morte.

- “MEU TIO DA AMÉRICA” – De 02/06 à 07/06
Sinopse :Henri Laborit é um notável professor e sociobiólogo que expõe sua teoria do comportamento humano - a sobrevivência, a luta, recompensas e castigos, a ansiedade - ao intervir na narrativa das histórias de vida de três persongens. René (Gerard Depardieu) é gerente de uma empresa que passa por enxugamento de pessoal; Janine (Nicole Garcia) é uma atriz que tem um amante, e cuja mulher está à beira da morte; Jean (Roger-Pierre) é um escritor e político em ascensão que enfrenta as encruzilhadas vida.

- CURTAS: GUERNICA / AS ESTÁTUAS TAMBÉM MORREM / NOITE E NEBLINA / TODA A MEMÓRIA DO MUNDO / O CANTO DO ESTIRENO – De 09/06 à 14/06
*Neste programa serão exibidos os primeiros curta-metragens do diretor que acabaram chamando atenção da crítica e do público no início dos anos 50.

Ciclo "Alain Resnais" - Horário : 18:30 h (De Terça à Domingo) - Entrada Franca

Sobre o diretor ALAIN RESNAIS: Alain Resnais nasceu em Vannes, França. Seus primeiros curtas-metragens destacaram sua criatividade e lhe permitiram ser encorajado pelo produtor Anatole Dauman. Filmes como "Guernica" (1950), "Nuit et Broulliard" (1955), "Toute la mémoire du monde" (1956) ou "Le chant du styrène" (1957) impressionaram inclusive seus amigos da Nouvelle Vague, como os diretores François Truffaut e Jacques Rivette que já o consideravam um mestre. Com seus primeiros longas-metragens, "Hiroshima, Mon Amour" em 1959 e "Ano Passado em Marienbad”em 1960, ele adquiriu renome mundial sendo considerado pela crítica mundial até hoje como um dos melhores diretores do cinema francês.

Apoio : ACCPA (Associação dos Críticos de Cinema do Pará)/ Embaixada da França (RJ)/ Aliança Francesa (Belém)

http://espacomunicipalcineolympia.blogspot.com/

terça-feira, 5 de maio de 2009

Peça conta busca de homem por si mesmo

Segunda-feira, 4 de maio de 2009, 05:08 | Online

Peça conta busca de homem por si mesmo

Teatro da Passagem alia a expressão corporal e a música à narrativa e interpretação

Da redação


Música reforça reflexão proposta pela companhia

Divulgação

Música reforça reflexão proposta pela companhia

São Paulo - O encontro de um homem que se perdeu de si mesmo é contado em espetáculo-performance do grupo Teatro da Passagem até o final deste mês no Espaço dos Satyros Um. Para remontar o seu eu interior ele busca suas memórias.

Em "Coexistência", os atores e diretores Ronaldo Záphas e Henrique Godoy Nunes utilizam a comunicação corporal para reforçar os impulsos da história. A expressão do corpo aliada à narração e interpretação é o significado do termo espetáculo-performance.

"Nessa atuação em especial serão mostradas as passagens da vida de um homem abandonado e esquecido por si mesmo, que tenta se recriar através de fragmentos de suas lembranças. Assim ele busca saber quem é", afirma o ator Ronaldo Záphas. O Teatro da Passagem busca refletir as impressões colhidas no cotidiano da metrópole.

Também participam da encenação os músicos Valério Fiel da Costa (com música experimental) e Tânia Mello Neiva (com o violoncelo). A música tem o papel de auxiliar o espectador a mergulhar no espetáculo.

COEXISTÊNCIA

Quando: Sextas e sábados, 21h

Onde: Espaço dos Satyros Um, Praça Roosevelt, 214

Quanto: R$ 20,00; R$ 10,00 (Estudantes, Classe Artística e Terceira Idade); R$ 5,00 (oficineiros dos Satyros e moradores da Praça Roosevelt)

Duração: 55min

Até: 30 de maio de 2009

http://www.estadao.com.br/noticias/arteelazer,peca-conta-busca-de-homem-por-si-mesmo,365015,0.htm

domingo, 3 de maio de 2009

CULTURA AFRICANA: Pinturas

“Flor del Desierto” - Joadoor





“De vous a moi I” – Isabelle Vital






“Caricias” – Keith Mallett





“Apres-Midi-en-Afrique” – Jaques Beaumont


Marcha da Maconha

Marcha da Maconha está programada para o próximo sábado na Capital
Proibida em outras cidades, atividade deve ocorrer no Parque da Redenção

Atualizada às 12h44min
Milena Schoeller | milena.schoeller@rdgaucha.com.br

No próximo sábado, manifestantes que apoiam a legalização da maconha no país se reúnem no Parque da Redenção, em Porto Alegre. É a Marcha da Maconha, prevista para ocorrer a partir das 15h. A manifestação estava programada para ocorrer em 13 cidades brasileiras a partir de hoje. Porém, em São Paulo, Salvador e João Pessoa, a Justiça proibiu.

Outras duas marchas também foram adiadas, segundo o próprio site da organização: em Goiânia e Fortaleza. Além disso, o Ministério Público (MP) da Bahia pediu investigação do site que divulga a marcha, alegando que é crime induzir, instigar ou auxiliar alguém no uso indevido de drogas.

No Rio Grande do Sul, o promotor Fabiano Dalazen, coordenador do Centro de Apoio Criminal, diz que o Ministério Público ainda analisa a questão. Mas a princípio, não pedirá a proibição do evento.

O MP ainda vai monitorar se adolescentes participarão da marcha e se haverá consumo da droga durante o ato. A Brigada Militar está avaliando a situação e na segunda-feira terá um posicionamento sobre o evento. No ano passado, a marcha na Capital foi autorizada pela Justiça.

A passeata, porém, foi trocada, pelos próprios organizadores, por apresentações artísticas na Redenção e na Usina do Gasômetro.

RÁDIO GAÚCHA

http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Geral&newsID=a2496613.xml

domingo, 19 de abril de 2009

Principais novidades para os segmentos da diversidade

Principais novidades para os segmentos da diversidade
• A criação, dentro do Fundo Nacional de Cultura, já existente, de Fundos Setoriais específicos para a Diversidade, dentre eles o Fundo Setorial da Cidadania, Identidade e Diversidade Cultural, e o Fundo Setorial da Memória e Patrimônio Cultural Brasileiro (material e imaterial);
• A participação direta de representantes dos segmentos já citados na gestão dos fundos setoriais e na Comissão Nacional de Incentivo à Cultura;
• A adoção de mecanismos para melhorar a distribuição regional dos recursos.
Conheça a proposta do MinC.
• Acesse o texto do projeto de lei, na íntegra, na página da Casa Civil da Presidência da República ( http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/consulta_publica/programa_fomento.htm)
• Acesse a cartilha do MinC que explica a reforma, ponto a ponto;
• Acesse uma apresentação mais detalhada acerca da reforma;
• Acompanhe as discussões e debates no rádio, nos jornais e telejornais, em diversos sites na internet.
• Blog da reforma no site do Ministério da Cultura: http://blogs.cultura.gov.br/blogdarouanet/
Se você tiver sugestões de alteração da proposta, manifeste-se e melhore ainda mais o projeto:
Meio formal oficial:
Envie suas sugestões para o endereço eletrônico profic@planalto.gov.br ou, por correio, para a Presidência da República, Palácio do Planalto, 4º andar, sala 3, Brasília-DF, CEP 70.150-900, até o dia 06 de maio de 2009.
Outros meios:
Blog da reforma no site do Ministério da Cultura: http://blogs.cultura.gov.br/blogdarouanet/

O Programa Fundo Canadá para Iniciativas Locais

Embaixada do Canadá
SES Av das Nações 803 Lote 16
70.410-900 Brasília - DF
Tel: (61) 3253-7958
fundocanada@gmail.com

O Programa Fundo Canadá para Iniciativas Locais
financia, no Brasil, projetos voltados para:
1) Fortalecimento da cidadania de crianças e adolescentes
Pautado na Convenção Internacional dos Direitos da Criança e do Adolescente e no Estatuto da Criança e do Adolescente. Seus focos são:
Saúde e Nutrição: ações curativas e preventivas em saúde (incluindo DST/AIDS) e ações direcionadas à melhoria da situação alimentar e nutricional de crianças e adolescentes;
Educação: ações em apoio à educação formal e informal (incluindo educação comunitária, exercício da cidadania e melhoria da qualidade da educação) de crianças e adolescentes, além de cursos técnicos e de capacitação profissional para adolescentes;
Direitos Humanos: projetos que visem auxiliar a erradicação do trabalho infantil, o combate ao abuso e exploração sexual e maus-tratos contra crianças e adolescentes.
) Direitos Humanos
Projetos que pretendem fomentar especificamente os direitos das mulheres e de grupos étnico-raciais. Iniciativas em Direitos Humanos que têm como base a dignidade inerente da pessoa humana, fundamentais para o bem-estar do indivíduo e para a existência da liberdade, justiça e paz no mundo.
3) Governança e Desenvolvimento Democrático
Projetos de caráter comprovadamente comunitário para o fortalecimento da participação popular no exercício do poder, a construção de instituições e práticas democráticas e o aprofundamento dos valores democráticos na sociedade de maneira a garantir que o exercício do poder pelos governos e a gestão dos recursos sociais e econômicos sejam feitas de maneira efetiva, honesta, eqüitativa, transparente e responsável.
O Fundo Canadá atende a pedidos de todo o país, no entanto, privilegia projetos provenientes das regiões Norte e Nordeste e da periferia das grandes cidades.

sábado, 18 de abril de 2009

Maurice Blanchot na UFG

quinta-feira, 9 de abril de 2009

1º Festival Pan-Amazônico de Documentários – Amazônia Doc

Começam hoje as inscrições para os workshops e oficinas de audiovisual e ainda para o seminário “Uma História do Cinema Documentário Pan- Amazônico”, atividades que compõem a programação do 1º Festival Pan-Amazônico de Documentários – Amazônia Doc, que acontece entre 22 e 26 de abril, no teatro Maria Sylvia Nunes, da Estação das Docas, e em outros espaços da cidade. A programação é gratuita e as inscrições devem ser feitas através do site. As vagas são limitadas. Serão duas oficinas e três workshops: de 20 a 26 de abril, oficina “Desenvolvimento de Projetos e Experiência de Pitching”, com o premiado documentarista Victor Lopes, das 9h às 12h, no Instituto de Artes do Pará (IAP); dias 24 e 25 de abril, workshop “Documentário e Animação”, com um dos criadores do festival Anima Mundi, Marcos Magalhães, de 9h às 12h e das 15h às 18h, também no IAP; de 24 a 26 de abril, workshop “Produção de Documentário sobre Meio Ambiente”, com Cláudio Savaget, dono da produtora que realiza o “Globo Ecologia”, das 9h às 12h, na Fundação Curro Velho; de 23 a 25 de abril, workshop “Direção para Documentários”, com o diretor Eduardo Escorel, das 9h às 12h, na Casa da Linguagem; e de 25 a 29 de abril, a oficina “Cinema é Documento”, no Instituto de Ciências e Artes da Universidade Federal do Pará (ICA/UFPA), das 9h às 12h, com Joel Pizzini, que além de genro de Glauber Rocha, já fez várias releituras das obras do falecido cineasta. O seminário “Uma História do Cinema Documentário Pan- Amazônico” terá presença do cineasta José Carlos Avellar, do escritor Fernão Pessoa Ramos e do professor de cinema Eduardo Morettin, entre outros. Mais informações no site www.amazoniadoc.com e ainda pelo telefone (91) 3243-1782.

SEMANA DE AÇÃO MUNDIAL 2009 – 22 a 29 de abril


“Ler e escrever o mundo”

Alfabetização de jovens adultos e aprendizagem ao longo da vida

Brasil, 27 de março de 2009.

Caras Companheiras e Caros Companheiros de todo o Brasil,

Em um mês realizaremos nossa já tradicional SEMANA DE AÇÃO MUNDIAL!

Como vocês sabem, A SAM é uma iniciativa da Campanha Global pela Educação e acontece em mais de cem países como uma grande pressão internacional sobre governos e autoridades para que cumpram os tratados e leis nacionais e internacionais no sentindo de garantir educação pública de qualidade para todas e todos.

No Brasil, a Semana é coordenada pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação, que produz e distribui materiais de apoio e realiza inúmeras atividades junto com diversos parceiros. Para nós, a Semana é uma importante oportunidade de movimentar nossa rede, debater temas de nosso interesse, realizar ações de mobilização e pressão política, enfim, mostrar nossa força coletiva e manter nossa roda girando!

Este ano realizaremos um grande evento no Congresso Nacional, a Aula Pública “Ler e Escrever o Mundo”, no dia 28 de abril. Organizações e movimentos civis apresentarão às autoridades suas preocupações quanto à situação da EJA e dos índices de leitura e escrita no país. Também haverá depoimentos de educadores, educandos, escritores, artistas, esportistas e celebridades. No final, uma carta gigante com as reivindicações da sociedade será entregue às autoridades para que seja levada à Confintea VI (Conferência Internacional de Educação de Adultos), que acontecerá em Belém, de 19 a 22 de maio. É o maior evento internacional nesta modalidade educacional e sua sexta edição acontecerá pela primeira vez num país “do sul”.

A idéia é que nossos parceiros locais também realizem aulas públicas nas Câmaras Municipais e Assembléias Legislativas no dia 28 de abril ou em alguma outra data possível durante a SAM.

Em breve distribuiremos diversos materiais com subsídios sobre os temas da SAM para apoiar as ações locais. Enquanto esses materiais não ficam prontos, confiram na folha anexa algumas sugestões para que vocês possam iniciar as discussões e a organização das atividades da Semana. E não deixem de fazer suas propostas!

Participem da Semana de Ação Mundial!

Recebam os materiais, organizem uma atividade, dêem suas sugestões, tirem suas dúvidas, discutam suas idéias com a gente. Email: cintia@campanhaeducacao.net, (11) 3151-2333 ramal 112, com Cintia Santos.


SUGESTÕES DE ATIVIDADES LOCAIS

  • AULA PÚBLICA

Os grupos e organizações locais ou as escolas/comunidades podem solicitar audiências ou reuniões com a Câmara Municipal / Assembléia Legislativa / Poder Judiciário / Secretaria Municipal ou Estadual de Educação para apresentar a situação do município, do estado ou mesmo da escola/comunidade quanto às questões de alfabetização, leitura, escrita e EJA. A idéia é que ativistas, professores e alunos dêem uma aula aos políticos, falando sobre sua realidade. No final da atividade, um documento ou uma carta com as reivindicações da sociedade civil deve ser entregue, de modo a formalizar o encontro e “amarrar” as autoridades com algum tipo de compromisso.

  • ATIVIDADES COLETIVAS DE DISCUSSÃO

O tema da SAM 2009 é amplo e dá pano pra manga. Se não for possível realizar a aula pública, muitas atividades podem ser desenvolvidas pelos mais diferentes grupos. Utilizem os materiais da SAM que em breve serão divulgados pela Campanha, com dados sobre EJA, alfabetização e leitura, para apoiar as atividades. Seguem algumas sugestões. Vocês podem criar muitas outras...

Na sala de aula

Não importa a série ou área que você leciona, é possível desenvolver com seus alunos atividades para discutir os temas da SAM e como eles estão presentes na vida de cada um. Os alunos podem levar para a sala de aula os materiais que gostam ou precisam ler fora da escola. Vocês também podem fazer um painel sobre os hábitos de leitura das famílias. O que, quem e quando se lê na casa de cada um? Jornal? Bíblia ou outros textos religiosos? Poesia? Cordel? Receita médica? Livro de culinária? Jogos? Textos na internet? Pode-se levantar também o grau de escolaridade dos pais e mães dos alunos e levá-los a refletir porque seus pais/mães concluíram ou não a educação básica. Se eles concluíram ou estiverem concluindo o ensino na EJA, o que mudou em suas vidas depois que voltaram a estudar? O que as crianças e jovens podem fazer para incentivar seus pais a voltarem para a escola?

Bibliotecas

Muitas bibliotecas públicas e comunitárias promovem regularmente rodas de leitura com crianças, jovens, adultos, terceira idade. Os animadores dessas rodas podem escolher um dia na semana de 22 a 29 de abril para debater o tema da SAM com os participantes, partindo da importância da educação e da leitura na vida deles e dos dados disponíveis nos materiais que serão distribuídos pela Campanha. Como forma de ampliar a participação nessas rodas, uma idéia é que nesse dia cada um que já participa poderia trazer um novo integrante. Um painel pode ser montado e ficar exposto na biblioteca, com depoimentos dos que participam da roda. Algo com o título: “Eu leio e escrevo o mundo”, seguido de pequenos depoimentos de quem participa, com seus nomes ou mesmo fotos. No final, um convite para que outras pessoas entrem na roda!

Piquenique de letras – Leitura ao ar livre

Escolas, associações de bairro, bibliotecas, centros juvenis e culturais, entre outros grupos, podem se juntar para promover um dia (ou algumas horas) de leitura ao ar livre. Funciona como um piquenique: o grupo escolhe um lugar público, uma praça, um parque, onde dá para todos se sentarem com certo conforto no chão; só que em lugar de levar comes e bebes, cada um traz os livros ou textos que quiser, que podem ser trocados na hora ou definitivamente, e lê à vontade. Em um dado momento, podem ser feitas leituras em voz alta, declamação de poesias, desafio de rap, enfim, soltem a criatividade!

Toma lá, dá cá – Feira do livro

Os diversos grupos também podem organizar feiras para troca e doação de livros. Sabe aqueles livros, aqueles gibis, aquelas revistas que a gente guarda, nunca lê e um dia termina jogando fora? Que tal ver se outras pessoas têm interesse? A feira pode ser organizada no mesmo dia e no mesmo local do Piquenique de letras. Ah! Não se esqueçam de pedir apoio de livrarias e sebos para esse evento, eles podem doar itens ou vendê-los bem baratinhos.